domingo, outubro 31, 2004

Halloween, a que propósito?

Desde quando é que se festejam os feriados de outros países no nosso? Não temos feriados que cheguem? Ao menos se vamos copiar os feriados dos outros vamos dar um toque pessoal! Decorem as vossas casas de maneira a assustar a criançada! Qual criançada? Assustem miúdos e graúdos! Que valha a pena a copia e façam algo original! Que não seja como as outras imitações rascas que temos feito até agora.
O prémio de espantalho "halloweeniano" deste ano vai para: Manuel Silva de Canidelo e os seus Flashers.

( Ó Silva, vemo-nos na reunião de voyuers e exibicionistas anónimos para a próxima semana? Um abraço)

sábado, outubro 30, 2004

são & salvo

Este devia ter sido o post de ontem, mas não tive tempo para escrever.
Ontem foi o tão esperado regresso às origens do meu irmão mais novo da sua viagem à Alemanha durante duas semanas. Não vou escrever como na posta em que ele se foi embora, hoje só conto a versão curta: Chegou, são e salvo!

sexta-feira, outubro 29, 2004

Achas justo!? Então mete vaselina!

Como se diferencia a vingança da justiça pelas próprias mãos? Onde fica a linha que diferencia estas duas vertentes? Será que se deve deixar todos os nossos assuntos a cargo da Lei? Ela já está tão atrapalhada sem os nossos problemas para quê ir incomodar, quando podemos resolver o assunto à nossa maneira?

quinta-feira, outubro 28, 2004

territorial pissing

Para além de ser o nome de uma das músicas dos nirvana é um conceito que se vê aplicado em inúmeras situações. Muitos animais fazem-no para marcar o seu território, mostrando assim aos rivais que a partir daquela zona entram em território alheio e que se não se portam bem vai haver problemas.
O meu pai é muito territorial e tem certas manias que não irão mudar nunca. Toda a gente que costuma ir a minha casa sabe que não pode estacionar no lugar mais perto do portão de minha casa. Não esse lugar não está na rampa, não esse lugar não tem qualquer placa que diga que é privativo, mas esse lugar é do meu pai. Desgraçado da pessoa que tenha a infelicidade de estacionar nesse lugar e que o meu pai chegue entretanto. Seja essa pessoa quem for, vai ficar a saber que esse lugar tem dono. Vejamos o exemplo de hoje:


Esta pessoa teve o azar de estacionar no lugar do meu pai à hora do almoço. O meu pai encostou o seu carro atrás e chegou o meu carro mais perto, de forma a aconchegar o carro estranho. Claro está, que o proprietário deste carro teve de tocar à nossa campaínha para poder retirar o carro do lugar do meu pai. Quem o atendeu fui eu. As minhas instruções eram simples:
«Se o dono do carro que estacionou no meu lugar for simpático, educado e disser que não volta a estacionar o carro ali, chegas o teu à frente para eles poderem sair. Caso ele ainda ache que está no seu direito de estacionar no meu lugar dizes que eu levei as chaves dos dois carros, que estou no escritório desejoso por receber a sua visita e entregas os meus contactos. Eu depois falo melhor com ele...»
Felizmente para estas pessoas, mantiveram-se muito calmas enquanto eu expliquei que aquele era o lugar do meu pai e que não poderiam voltar a estacionar lá, sem se habilitarem a que esta situação ou uma pior acontece-se. Compreenderam, pediram desculpa pelo incómodo que causaram e perguntaram-me se eu poderia retirar o carro. Correu bem, ainda não foi desta que levei uma coça pelas palermices do meu pai.

quarta-feira, outubro 27, 2004

Temos quiosque!

Abri o Quiosque Do Camandro, uma Souvenir Shop com artigos personalisados Do Camandro para oferecer aos amigos. Infelizmente os preços são um pouco elevados, mas é do melhor que a internet tem para oferecer, de momento. O logotipo do blog será a partir de hoje o link para a loja cibernética.

terça-feira, outubro 26, 2004

Contraceptivo roto?

Estava a vaguear pela faculdade quando deparei com um enorme poster que dizia o seguinte: "A tua namorada é saída da casca?". Olhei à volta para saber o que se estava a passsar ali e reparei na banca atrás de mim, onde estavam a distribuir folhetos contra a SIDA, porta-chaves e preservativos.
«O dia mundial da SIDA é no dia 1 de Dezembro, não é? Que fazem estes tipos aqui?» - perguntei eu. Pelos vistos resolveram antecipar-se à jogada dos alunos mais velhos em apanhar as alunas mais novas, e vice-versa, para os alertar, mais uma vez, a ter cuidado com o que fazem.
«Estás a frequentar a faculdade? Já tens idade para mandar umas quecas! Toma lá uns preservativos para ti...» Acho que este tipo de acções deviam começar no ensino secundário e não no ensino superior. É de admirar que alguns alunos chegam à faculdade com filhos ao colo? Estas informações deviam ter sido fornecidas muito antes das pessoas terem tratado do assunto.
Quando cheguei a casa resolvi pesquisar quantos métodos contraceptivos existem e fui parar a um site que falava de um novo método contraceptivo. Trata-se de um anel que é inserido na mulher, como tampão, para impedir que ocorra a ovolução. É o Nuvaring e mesmo após ler as instruções de utilização pareceu-me uma ideia um pouco rebuscada. Não parece ser confortável para as mulheres, que têm de andar com aquilo lá dentro durante um mês inteiro, nem para os homens durante o acto. Ainda por cima não protege de doenças transmissiveis sexualmente, embora só o preservativo e a abstinência o façam, por enquanto. Se é só para não engravidar mais vale tomar a pilula, que tem exactamente os mesmo efeitos. O único problema da pilula é para aquelas pessoas com memória de peixinho dourado que se podem esquecer de a tomar. Para essas pessoas ainda há aqueles contraceptivos de implante que dura 3 anos. Mesmo assim, nos dias de hoje, mais vale ser um tipo prevenido e usar mais do que um método no caso de não ser uma parceira regular, just in case...

segunda-feira, outubro 25, 2004

Reduzidos à nossa insignificância?

É com tristeza que vos transmito esta noticia:
Portugal não faz parte das estatísticas da marca de preservativos Durex do ano 2004. Após ter lido esta noticia, fiquei muito transtornado e resolvi ir verificar a ver se não faziamos parte só da estatística a que o jornalista se referia ou se em todas. Ou fomos cálculados juntamente com a Espanha ou em Portugal ninguém respondeu às perguntas que a Durex fez. Não fazemos parte das estatísticas de qual o país mais activo sexualmente, nem de que idade tinha na primeira vez, nem da frequência de orgasmos, nem de nada e olhem que há bastantes estatísticas em que poderiamos ter participado!
Em Portugal as pessoas são tão preguiçosas que nem para as estatísticas contribuem...

domingo, outubro 24, 2004

M.I.A.

Estava eu a acabar de mandar a posta de ontem, quando reparei no titulo que aparece aqui do lado esquerdo, por baixo do título do blog: "um blog sobre o dia-a-dia de uns gajos aparentemente normais com histórias merecidas do adjectivo "do camandro"..." Mas quais gajos aparente normais qual camandro! Onde é que eles andam? O que aconteceu aos ilustres membros deste blog que estão missing in action há já três meses, não contando com a Terese Marie, que escreveu há pouco tempo. Terei de organizar uma equipa de salvamento para irmos procurar a imaginação dos restantes membros? A última posta de outro membro foi no dia 11/7/2004. Estarão todos eles, simultâneamente, com um bloqueio de escrita? Foi alguma epidemia que se alastrou?

sábado, outubro 23, 2004

First impressions

Quando conheço alguém ou engraçam comigo por termos um sentido de humor semelhante ou acontece exactamente o oposto e nunca mais me querem ver à frente. Essa primeira impressão não é fundamental para que duas pessoas se possam vir a dar bem futuramente, mas pode ser às vezes um obstáculo complicado a superar. Já estive em algumas situações dessas e não foi nada fácil quebrar o gelo.
Como é que, durante a primeira impressão, podemos ver se a pessoa com quem estamos, está a gostar da nossa companhia ou se está completamente a leste? Se fosse um cão era fácil, porque abanava a cauda ou não. Será que dá para perceber algo pela linguagem corporal das pessoas? Há pessoas que são tão frias que não dá para ver se estão vivas quanto mais se estão a apreciar a nossa conversa.
A única certeza que tenho sobre este assunto é que não há uma segunda hipótese para uma primeira impressão!

sexta-feira, outubro 22, 2004

Origem do camandro

Andei a indagar qual seria a origem da palavra camandro. Encontrei muito poucos artigos que explicavam a origem, mas mais de 17.000 sites onde a palavra camandro era usada. O pouco que encontrei levou-me a ver que ainda há pessoas que confundem a palavra camandro com camando ou ainda camândrio. Só tenho uma coisa a dizer a essas pessoas:
«LAVEM OS OUVIDOS!» - Já me ouvem melhor agora, não é?
De qualquer forma, resolvi transcrever aqui as origens dúvidosas que encontrei:

"Em alguns meios de comunicação, bem como na chamada literatura leve (designo desta forma o subgénero literário a que se convencionou designar "light", termo que, num sítio com estas características, seria de utilização imperdoável), pode encontrar-se, por vezes, o termo "camandro" (normalmente enquadrado em frases em que predomina o calão, como por exemplo: "o gajo teve um galo do camandro"). Apesar das investigações que levei a cabo em alguns conspícuos dicionários, não encontrei qualquer referência a este vocábulo. A única palavra que, vagamente, se lhe assemelha, é "Escamandro", referido, na literatura clássica, como o principal rio de Tróia (confira-se, por exemplo, Eurípides, em "As Troianas", vs. 28 e 29: "Ressoa o Escamandro com os gemidos de muitas cativas ao serem sorteadas pelos seus amos", ou na mesma obra, vs. 374 a 377: "Assim que chegaram às margens do Escamandro, morreram um a um, não porque os tivessem espoliado das suas fronteiras, nem das muralhas da sua pátria"). Será esta a origem de "camandro"? "

"Camândrio (nunca ouvi de outra maneira!), tal como o actual e já inócuo caraças, é, segundo julgo, deturpação de óbvio termo obsceno, realizada propositadamente por eufemismo, semelhante a outros relativos a palavras consideradas impróprias para se dizerem em público, sem ser entre amigos íntimos ou colegas. Os clássicos gregos (nem sequer o brejeiro Aristófones!) não são os «culpados» do vocábulo."

quinta-feira, outubro 21, 2004

soma e segue

Infelizmente o assunto de que venho hoje falar não é muito interessante, mas é sempre bom saber às vezes nem tudo o que parece é. Já estamos todos fartos de ver o José Castelo Branco com os seus tiques e por causa deles ter julgado a sua preferência sexual. Pois fiquem a saber que este senhor é muito mais esperto que o comum dos homens heterosexuais. "...Tudo aconteceu ontem, durante uma conversa entre a cantora, Castelo Branco e Ana Afonso, quando esta explicou aos companheiros que tinha posto silicone nos seios. O ‘marchand’ não fez por menos e, para sentir a diferença, apalpou as duas companheiras..." - esta notícia foi transcrita do Correio da Manhã de dia 17 de Outubro. Neste artigo entrevistam o namorado da Mónica que alega que a namorada só deixou aquela cena acontecer porque era o Castelo Branco e não um homem qualquer. "A um homem normal elas não o permitiam..." - diz o tipo. Continua a dizer isso a ti mesmo pá, ninguém gostaria de ser confrontado com a notícia que a sua namorada foi apalpada por outra pessoa.
Podem chamar muita coisa ao Castelo Branco, mas burro ele não é. Fico surpreendido com os feitos deste homem a cada dia que passa e dúvido ser o único. Cá para mim, José Castelo Branco soma pontos de popularidade e segue para a vitória no concurso. Será que o Castelo Branco se vai tornar no próximo herói pessoal de muita gente?

quarta-feira, outubro 20, 2004

Afinal não foi!

Nem sou muito de conversas futebolísticas, até porque não percebo muito do assunto, mas acho que desta vez o pessoal anda a exagerar, como de costume, sobre o caso deste domingo em que o Porto ganhou ao benfica por uma bola a zero. Quando vi o lance pela primeira vez também achei que o clube lisboeta até tinha sido prejudicado, mas dado ao facto de não haver nenhuma imagem de um ponto de vista mais esclarecedor teremos de nos contentar com as que temos:


Nesta imagem vemos que parte da bola ainda se encontra fora da baliza antes de o Sr. Baía interferir com a sua trajectória, logo não pode ser considerado golo, visto que a bola tem de se encontrar na sua totalidade a transpor a linha de golo. Ou ainda a seguinte imagem com mais pormenor técnico:


Claro está, que nenhum árbitro poderia ver esta bola a olho nu, daí as complicações formadas acerca de este lance. O àrbitro não marcou golo é porque não é golo e acabou-se! Até agora não houve nenhum árbitro que voltasse atrás numa decisão tomada durante um jogo. Era necessário haver cameras especialmente colocadas, ou um microchip na bola, ou qualquer outra sugestão estúpida que ouvi hoje e que já não me recordo para que fosse possível validar este lance a tempo de continuar o jogo. Daqui a uns tempos trocávamos os árbitros por robôs capazes e conhecedores de todas as regras de que consiste o futebol, lá iam ficar mais uma porrada de camelos sem emprego, integrados com polígrafos para detectar quando um jogador estava a mentir àcerca de um lance e que de seguida lhe aplicaria um valente choque eléctrico para este não voltar a mentir.

Querem marcar golos? Metam a bola toda lá dentro, como todos os outros meninos fazem! Não me parece nada complicado, visto do sofá... Parecem putos sempre a queixarem-se:
«Ó mãe, aquele senhor diz que a bola não entrou na baliza e eu estava mais longe do que ele e vi a bola lá dentro....» ao que a mãe responde:
«Já estive a falar com aquele senhor. Meu filho será que não foi ilusão de óptica? Viste mesmo a bola dentro da baliza ou contaram-te que estava lá dentro? Precisas é de ir ao oftalmologista mudar de lentes...»

Só mais apontamento em relação a este filme que durará pelo menos até ao próximo incidente em que o benfica seja não-benificiado de um lance qualquer que será polémico como o camandro, já sabemos! Deixo-vos com um comentário de um telespectador, que vi no rodapé de um programa desportivo esta semana:
«O Porto tem muita razão ao dizer que o Baía é o melhor guarda-redes do mundo. Os outros guarda-redes já nós vimos que defendem remates quase impossíveis de defender, o Baía defende golos! Scolari convoca o Baía... »

terça-feira, outubro 19, 2004

Nada a declarar

Há políticos que se safam sempre daquelas perguntas mais incomodas respondendo a outra pergunta que nem sequer foi colocada. Também há aqueles que resolvem ser mais dignos, menos chicos-espertos e soltam um grave "Nada a declarar" ao estilo in your face dos jornalistas presentes. Ficam todos ali pasmados, com cara de quem não sabe como reagir e de repente salta do meio daquele turbilhão de microfones uma pergunta ainda mais picada que a anterior. Nessa situação, o político ou ignora e continua a sua marcha ou pára e tenta identificar a pessoa que lhe fez essa pergunta com aquele ar de quem diz "Quem se atreveu a perguntar isso!? Se descobrir quem és, não vais durar muito...". Após a tentativa de identificação, que nem sempre é fruterifera, o político acusa o jornalista de má educação e alega que se recusa a responder a pessoas sem honra. Mais uma vez escapa-se sem responder à pergunta que lhe é feita fingindo agir de forma políticamente correcta.
O sr. Avelino Ferreira Torres resolveu tomar a atitude politicamente correcta quanto à sua estadia na Quinta das Celebridades. Em vez de ir a votos, como ele está tão habituado, e arriscar a ter de sair, como o resto dos concorrentes, resolve sair pela porta dos fundos sem dar muito estrilho alegando ter de ir fazer uns exames médicos. Assim sai a ganhar, sempre! Mostrou-se muito prestável, paciente, sensível, fez a sua publicidade, ganhou os seues eleitores, montou a casota dos cães, fez o seu exercício físico, andou a ver se as celebridades eram bem feitas e saiu antes que o mandassem para fora deixando a esperança de ainda voltar a entrar. Aqui está uma boa jogada política.
Pois é malta, temos de deixar de ver a Quinta das Celebridades como um programa de televisão ranhoso e sem interesse e o encararmos como um exemplo de serviço público do mais alto calibre. Haverá melhor maneira de juntar uma série de inúteis do mais alto nível e os trancar fora da circulação do país sem eles se queixarem? Parece que durante uns tempos, estamos safos de os encontrar por aí à solta...

segunda-feira, outubro 18, 2004

bye bye Bro

"Fui acompanhar hoje o meu irmão mais novo ao aeroporto. Vai para a Berlin durante duas semanas para casa de uma rapariga que esteve de visita em nossa casa durante este último ano lectivo. A minhã mãe também foi entrega-lo. Ficou por lá a tratar do check-in, as malas e o camandro, visto que pelos vistos ninguém do DSP se chegou à frente. Chegaram os últimos participantes desta viagem inter-escolar e entraram para a zona do free-shop despedindo-se dos pais presentes."

Como sou um tipo que gosta das coisas simples e bem contadas, esta é a minha versão. Para quem gosta de histórias mais do género Big Fish, aqui vai:

"Acordei cedo lá para as 5 da manhã porque ouvi um ladrar muito forte. Era o meu cão na sala a alertar porque passava alguém à porta de nossa casa. Abri a porta principal para que ele fosse ver o que se passava, fazer as suas necessidades matinais e aproveitei a companhia para ir fazer as minhas. Enquanto eu estava a mijar do muro para a rua ouvi uma voz e parei. Não escutando nada resolvi continuar o que estava a fazer. Ouvi a voz de novo e reparei que era de um peixe enorme que estava deitado em cima do meu carro. Pensei: "Como é que este gajo foi ali parar!?" Tentei falar com o peixe e ele não só me entendeu como me respondeu de volta. Pelo que ele me contou tinha ido parar ao meu carro com a chuva. Tinha chovido imenso naquela noite, o peixe que estava a morar num lago no Museu de Serralves, resolveu arriscar a subida das àguas e descer pela Avenida Marechal Gomes da Costa até alcançar o mar. Não o tinha conseguido ainda, porque tinha ficado demasiado ofuscado pela para-choques do meu carro e embateu nele ficando depois entalado entre o para-choques. A àgua agora tinha descido demais para ele poder descer pela avenida. Então estava pedindo socorro, pois não ia conseguir sobreviver muito mais tempo. Fui a correr buscar as chaves do carro peguei no peixe e fomos em direcção ao mar. Durante a viagem ele tossiu imenso, até pensei que ele não ia aguentar o caminho todo e de repente cuspiu para cima do banco. Parei o carro em frente ao Homem-do-Leme, peguei no peixe e corri em direcção à àgua. Atirei-o ao mar e enquanto ele ia a rodopiar pelo ar gritou: "Obrigado! Deixei-te um presente no carro... Splash!!!". Depois veio à tona e despediu-se no ar enquanto mandava um salto. Fiquei a pensar o que é que o palerma do peixe me tinha deixado no carro e quando cheguei à beira do carro acordei. Vesti-me, fui tomar o pequeno almoço, lavei os dentes e saí de casa. Quando entrei no carro olhei para o banco em que tinha estado o peixe e vi o que ele me tinha deixado. Um chocolate, que me podia ter caído da mochila no dia anterior perfeitamente, mas que vou continuar a dizer que foi o peixe que o deixou.
Fui para as aulas, esperei pelo professor/colegas e não houve aulas. Vi as horas, liguei à minha mãe e combinei que me encontrava com ela, para me despedir do Bernardo, no aeroporto. Quando cheguei o meu irmão já andava entusiasmadíssimo a fazer corridas de carrinhos de mão com os amigos dele. Em Junho, o Bernardo até escondeu o formulário que os meus pais tinham de ler e assinar para ele poder fazer esta viagem à Alemanha, agora estava frenético por mudar de ares durante uns tempos. A minha mãe organizou o resto da viagem, coisa que pelos vistos ninguém se tinha lembrado de fazer e os miúdos despediram-se dos paizinhos que por lá deambulavam. "...manda um abraço ao peixe por mim..." - diz o Bernardo, enquanto entrava para a zona do free-shop a acenar o mesmo chocolate que estava no meu carro no principio do dia..."

domingo, outubro 17, 2004

Não dá para acreditar

Mais uma história do camandro que vos trago. Desta vez a famosa história do assentador de tijolos, onde confirmamos que toda a gente tem o direito de ser estúpida, mas algumas pessoas abusam do privilégio.

"Sou assentador de tijolos. No passado dia 8 de Setembro estava a trabalhar sozinho no telhado de um edifício de seis andares. Quando terminei o meu trabalho, verifiquei que me tinham sobrado muitos tijolos, mais ou menos 250Kgs, e pensei que em vez de os descer à mão, um a um, decidi colocá-los num bidão que havia no terreno, que poderia utilizar com a ajuda de uma roldana, a qual felizmente estava fixada num dos lados do prédio, no 6º andar.
Desci para o terreno e atei uma corda ao bidão. Subi para o telhado e puxei o bidão para cima e nele pus os tijolos dentro que couberam todos. Voltei para baixo, desci a corda e segurei-a com força de modo a que os tijolos descessem devagar. Aí começou o sinistro. Como eu só peso cerca de 80Kgs, qual não foi o meu espanto quando de repente me senti içado no ar, saltei do chão, perdi a minha presença de espírito e esqueci-me de largar a corda. Acho que comecei a subir a grande velocidade. Lembro-me que na proximidade do 3º andar embati no bidão que vinha a descer (cruzei-me mesmo com ele) e isto explica a fractura no crânio e a clavícula partida. Continuei a subir, mas com menos velocidade, e só parei quando cheguei ao 6º andar e os meus dedos ficaram entalados na roldana. Felizmente que já tinha recuperado a minha presença de espírito e consegui, apesar das dores, agarrar-me à corda e soltar os dedos da roldana. Enquanto tudo isto se passava lá em cima, o bidão chegou ao chão com um grande estrondo e o fundo partiu-se e ficou sem os tijolos que se partiram e espalharam pelo terreno. Sem os tijolos, o bidão pesava mais ou menos 20Kgs. Como V. Exas podem imaginar e como eu ainda estava agarrado à corda lá em cima, comecei então a descer rapidamente, e próximo do 3º andar encontrei outra vez o bidão que vinha a subir, e isso explica as fracturas nos tornozelos e as luxações nas pernas, bem como na parte inferior do corpo. O encontro com o bidão diminuiu a velocidade da minha descida pelo prédio abaixo o suficiente para minimizar os meus sofrimentos, quando caí em cima dos tijolos que estavam no terreno. Felizmente só fracturei 3 vértebras. Lamento no entanto informar que enquanto me encontrava caído em cima dos tijolos, sem quase me poder mexer, olho e vejo o bidão lá em cima. Aí perdi novamente a minha presença de espírito e larguei a corda. O bidão, disseram-me depois, pesava mais que a corda e então desceu e caiu em cima das minhas pernas, partindo-as imediatamente. Só me lembro depois de ter acordado no hospital e só 3 dias depois é que consegui ditar a descrição deste acidente. Espero ter dado as informações detalhadas para poder ser indemnizado por V. Exas."

Imagino a cara dos colegas de trabalho deste tipo quando o foram visitar ao hospital:
«Ó Zé, porque é que foste fazer uma estupidez dessa envergadura? Pareceu-te boa ideia na altura, foi isso!?»

sábado, outubro 16, 2004

Gravatas para quê?

Não entendo porque são as gravatas um item necessário para um evento mais formal. Quem inventou a gravata? O que representa a gravata? Qual a utilidade da gravata? (Só sei da utilidade que um rapaz aplicou, assoando o nariz à sua gravata durante um casamento e ainda por cima quando o estavam a filmar! Vou ver se arranjo os direitos desse filme para por aqui.) Será que é uma determinação de estatuto social? Será que pelas diferentes cores, tamanhos, tipo de tecidos da gravata que se pode prever que tipo de pessoa a utiliza? Ou será que a gravata não é nada mais do que uma maneira de chamar à atenção o sexo oposto tal como os rabos inchados dos babuinos na época de acasalamento, como diria o Sir David Attenborough? E qual o padrão ideal de gravata para impressionar a nossa pretendida?
Estas eram algumas das perguntas que eu fazia sempre que os meus pais me obrigavam a utilizar gravata quando era mais novo. Farto de não saber porque tinha de utilizar um peça de roupa, se é que a podemos denominar como tal, que tanto me incomodava resolvi pesquisar a sua história. Fiquei a saber que os primeiros indícios do uso da gravata, remontam ao terceiro século A.C. (e ainda se usa isto?), mas o que originou o uso da gravata em grande escala em todo o mundo, foi a Guerra dos 30 anos, que devastou a Europa durante o século XVII, entre a aristocracia protestante. Boemia Protestante contra o sagrado império romano. O exército francês, pertencente ao primeiro grupo, tinha o seu exército formado quase que inteiramente por mercenários, que tinham como parte de sua vestimenta, um tipo de lenço no pescoço. O rei da Inglaterra, saindo do seu exílio na França, levou ao seu país a nova moda. A partir daí, o uso de gravata se espalhou por toda a Europa, ajudado pelo frio desse continente, já que aquecia o pescoço das pessoas.
Como é que um "trapo" ao pescoço de uma pessoa é de tanta importância? Pelos visto é assim ao longo de vários anos e não vou ser eu, nem quando for governante de portugal, que vou impedir o seu uso. De qualquer das formas um tipo lá se vê obrigado de tempos a tempos a ter de fazer o frete de fazer uso da sua gravatola para cerimónias mais formais. Infelizmente ainda temos o problema dos nós pela frente o que, para Oscar Wilde é como um grito do Ypiranga que os rapazes dão quando entram na idade adulta. “Dar um bom nó de gravata é o primeiro passo sério na vida de um homem”. Caso não tenham a sorte de ter um pai que faz nós de gravata perfeitos a dormir em pé ou ele esteja ausente de momento, aqui estão as instruções dos três nós mais usuais de gravata.

sexta-feira, outubro 15, 2004

No que os filmes fazem acreditar...

Estava no meu zapping habitual na sala quando passei por um canal em que estava a dar um filme e deixei ficar para ver se conhecia. Passado uns segundos apercebi-me que se tratava de um daqueles filmes que nem são pornográficos, nem sei se são eróticos, mas não são nada de jeito. Resolvi ver um pouco do filme de uma forma critica e tirei algumas notas das coisas mais mal feitas que reparei.

1. As mulheres ficam sempre surpresas quando abrem a barguilha das calças de um homem e encontram uma pila lá.
2. Os homens nunca são impotentes nem sofrem de algum tipo de problema.
3. 10 segundos de preliminares é mais do que suficiente.
4. As mulheres não se descalçam para fazer sexo.
5. As mulheres jovens e bonitas, adoram fazer sexo com homens feios de meia idade.
6. As mulheres têm orgasmos sempre e ao mesmo tempo que os homens.
7. Um "serviço oral" livra sempre uma mulher de uma multa.
8. Todas as mulheres são muito barulhentes quando estão a fazer sexo.
9. Os homens não têm de implorar por sexo.
10. As mulheres nunca têm dores de cabeça.
11. As enfermeiras são todas ninfomaníacas.
12. As mulheres gostam de levar umas palmadas.
13. Se uma mulher é apanhada por um estranho a masturbar-se, ela não fica atrapalhada, mas convida o homem a "prestar-lhe assistência".
14. Se um casal de namorados for apanhado a fazer sexo por um estranho convidam-no a participar.
15. Se um tipo é apanhado pela namorada a fazer sexo com a melhor amiga dela, a namorada ficará momentaneamente aborrecida e depois junta-se à festa.

Depois ter discutido estes apontamentos com um amigo, soube que já existia uma lista semelhante a esta, mas muito mais detalhada. O que ainda agrava mais a situação, visto que não fui o único a perder o interesse pelos filmes e a tomar nota das tais falhas cinematográficas. Aqui está essa lista para vocês compararem.

Senhores realizadores de cinema & camelos associados, podem ver os corpos das actrizes que vocês bem entenderem, mas dignem-se a pelo menos ter um guião para os vossos filmes. Arranjem uma desculpa mais credível para o que realmente vocês estão lá a fazer!

quinta-feira, outubro 14, 2004

Placebos e afins

Cada vez fico mais espantado com a quantidade de curas populares que há para todo o tipo de doenças. Seja dor de dentes ou de estômago, aqueles remédios caseiros curam tudo e como o segredo é a alma do negócio ninguém sabe do que são feitos os contéudos daqueles frascos. Sinceramente acho que essas medicinas populares só funcionam com quem acredita nelas piamente. "O sr.José, que tinha problemas de erecção, está agora com mais vigor do que nunca, graças ao chá de pau de cabinda." É tudo uma questão de fé e de não saber do que é constituido o tal remédio milagroso. Se soubessem que o chá de pau de cabinda é proveniente da casca de árvore com o mesmo nome que só é possível encontrar em Angola nas florestas de Cabinda, talvez já não acreditassem nos seus efeitos. Serão as curas populares placebos das multidões ou faltará à ciência alguns conhecimentos que só o povo possui?

A hell of a driver

É verdade! Juntei os códigos de barras do chocapic e saiu-me o código! Infelizmente, nem no tulicreme oferecem a carta de condução completa. Por isso cedi às pressões dos meus familiares e amigos e marquei as aulas de condução. Podem não acreditar mas finalmente vou começar a conduzir! Foi num dia chuvoso de outono que tive o primeiro encontro com o "meu" opel corsa de matricula .....SF (não digo o resto para não me insultarem na rua). Fomos apresentados pelo Vítor. O Vítor é o meu companheiro de viagens durante 30 aulas (espero!). Acho que devia ser largamente aumentado, pró que ele me atura... Bom, entrei para o carro... Só que a força do hábito fez com que me sentasse no lugar do passageiro! Logo aí o Vítor percebeu que eu seria um caso perdido, nem com 130 aulas como a velhota de 71 anos. Ele riu-se e eu corei. Lá me sentei no lugar que me está destinado, ajustei as paneleirices todas e chegara a hora da verdade. O carro estava estacionado e o vítor queria que eu o tirasse de lá. Passado meia hora tínhamos iniciado a marcha (Toli, já te disse 100 milhões de vezes que não sou exagerada!!!). Fomos ao bessa, ao foco etc. Ele disse que sempre que eu tivesse uma dúvida, parava e perguntava. Pois é, mas a dúvida surgiu-me numa rotunda!!!! Todos se riam de mim, ou insultavam o instrutor, primeiro que conseguisse arrancar... Depois treinamos o pára e arranca. Ainda bem que tínhamos cinto, senão como ele disse ,se calhar já não tínhamos os dentes da frente com as minhas travagens fantásticas. Hoje, na 4ª aula de condução passei pela primeira vez na Marechal. Pena o meu namorado não tar à porta. Eu bem apitei, porque se aproximava a Terese, o perigo iminente... Acautelem-se pois vou continuar a percorrer as ruas da cidade depois de almoço. A aventura continua num opel perto de si!!!!!

quarta-feira, outubro 13, 2004

Centésimo POST

Este sim, é um post especial, é a posta 100 deste blog! Sinto como se hoje fosse o aniversário de alguém que eu conheço. Alguém com quem vou partilhando algumas ideias, por muito palermas que sejam, e não me critica por isso. O Do Camandro limita-se a ouvir o que lhe digo, mas quase sempre fica mais alguém a saber aquilo que lhe acabei de contar. Não é muito capaz de guardar segredos, mas também quantos amigos vossos é que são capazes dessa proeza? O mais próximo que os meus amigos têm dessa qualidade, é que se esquecem do que lhes contei e por isso não contam o segredo sem querer, claro. De resto quase toda a gente acaba por dar com a lingua nos dentes, pelo menos uma vez. Há pessoas que têm imenso jeito para arrancar informações aos outros, parece que sabem quando alguém lhes está a ocultar algo, suspeito que até devem conseguir cheirar isso. Devem trabalhar para o FBI ou camandro. Quanto mais se tenta esconder algo dessas pessoas mais rápido elas nos sacam essa informação. A única maneira de não transpirarmos essas informações, é esquecermo-nos que elas existem. Como se faz isso? Não sei. Cria-se uma nova identidade/personalidade que não faz asneiras e pomos esse tipo a ser interrogado por nós?

terça-feira, outubro 12, 2004

Quando a hora aperta...

Parece que o estilo mais português, sem querer ofender ninguém (ou até talvez sim), de fazer seja o que for, é deixar a tarefa para a última da hora. Esperamos até o fogo nos começar a queimar para evacuarmos do edifício em chamas. Muitas pessoas dizem que é esse pânico de última hora que as inspira para tomar grandes decisões. Quando precisamos mesmo de fazer aquele último remate, a uma distância práticamente impossível, para ganhar o campeonato do mundo, conseguimos! Para fazer aquele último desvio para nos salvarmos da morte certa, embora já estejamos todos pisados de levar porrada e com o corpo cravado de balas, conseguimos! - Quem me dera também poder ser um John McClane
Sou aquele tipo de gajo que começa a ficar preocupado antes do trabalho ser dado e o pior é que mesmo assim acabo sempre por deixar as coisas para a última da hora... Mas como diz um grande amigo meu: "... pois é, mas tem de ser! E o que tem de ser, tem muita força..."

segunda-feira, outubro 11, 2004

Diferentes pontos de vista políticos

Quando eu for governante de Portugal, ditador soa um pouco mal, algumas alterações serão feitas. Existirá um governo que o povo elegerá democraticamente, mas todas as decisões que esses marmanjos tomem, terão de ser confirmadas por mim. Existirão umas leis novas nada de muito invoador. A base de toda esta era seriam a primeira e segunda lei onde constará: "Quem manda é o ToLi e mai nada!" e "A capital será o Porto, como sempre devia ter sido". Serão propostas algumas alterações às leis actuais. Essas propostas serão elegidas somente se o povo assim o quiser.
Por exemplo: As penas de prisão em Portugal, 25 anos no máximo!? Nova Proposta: Os culpados de crimes hediondos, culpados sem margem de dúvida, serão julgados e depois punidos pela multidão que os esperará à porta do tribunal munidos do que bem lhes apetecer. Essa multidão terá de ser escolhida a dedo pelo funcionário de segurança nomeado pelo ToLi.
A saúde das testemunhas de Acusação será responsabilidade da Defesa. Se algo acontecer a essas testemunhas o réu é considerado culpado. (Acabaram-se os inocentes porque a testemunha morreu "misteriosamente" enquanto tomava banho com a sua torradeira. Claro que também pode surgir a testemunha ser velha como o camandro e morrer mesmo de forma natural. Se isso for provado o réu talvez ainda tenha um julgamento justo, talvez...)
"A mais velha profissão do mundo" irá ser assunto de um referendo a nacional para a sua legalização. Já existe há tanto tempo, já lhes cobram impostos, já têm como pedir empréstimos ao banco mais vale legalizar o seu estatuto e tornar tudo mais seguro. Assim terão de fazer como as suas colegas do Amsterdam's Red Light District que têm de fazer testes de saúde de tanto em tanto tempo tendo até uma caderneta para mostrar aos clientes.
Serão impostas leis a favor do ambiente tal como o exemplo referido em 22 de Setembro!? Yeah right!.
O resto vai-se vendo, vai-se fazendo. Primeiro tenho é de ser eleito!

Pronto, quem estiver a favor que eu seja o novo governante deste nosso Portugal que comece a recolher assinaturas pois preciso de, mais ou menos, umas cinco mil só para poder ir a votos.
Toca a trabalhar pessoal!

domingo, outubro 10, 2004

O inferno é exotérmico ou endotérmico?

O mito que ronda na Universidade de Aveiro:

O Dr. X (vamos manter o anonimato na medida do possível), do Dep. de Física da Universidade de Aveiro é conhecido por fazer perguntas do tipo: "Porque é que os aviões voam?"
A sua única questão na prova final de Maio de 1997 para a turma de "Transmissão de Massa e Calor II" foi: "O inferno é exotérmico ou endotérmico? Justifique a sua resposta."(ou seja, se o Inferno é um sistema que liberta calor ou se recebe
calor).
Vários alunos justificaram as suas opiniões baseados na Lei de Boyle ou em alguma variante da mesma, mas um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:
"Primeiramente, postulamos que, se as almas existem, então elas devem ter alguma massa. Se tiverem, então uma mol de almas também tem massa. Então, em que percentagem é que as almas estão a entrar e a sair do inferno? Eu acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no inferno nunca mais sai. Por isso, não há almas a sair. Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhadela às diferentes religiões que existem no mundo hoje em dia. Algumas dessas religiões pregam que, se não pertenceres a ela, então vais para o inferno. Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas religiões, podemos projectar que todas as pessoas e almas vão para o inferno. Com as taxas de natalidade e mortalidade da maneira que estão, podemos esperar um crescimento exponencial das almas no inferno. Agora vamos olhar para a taxa de mudança de volume no inferno. A Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem
constantes,a relação entre a massa das almas e o volume do Inferno também deve ser constante. Existem então duas opções:
1) Se o inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a pressão no inferno vão aumentar até ele explodir.
2) Se o inferno se estiver a expandir numa taxa maior do que a de entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele.
Então, qual das duas opções é a correcta?
Se nós aceitarmos o que a aluna Maria Inês me disse no primeiro ano: "Haverá uma noite fria no inferno antes de eu ir para a cama contigo", e levando em conta que ainda NÃO obtive sucesso na tentativa de ter relações sexuais com ela, então a opção 2 não é verdadeira. Por isso, o inferno é exotérmico."

O aluno António José tirou o único "20" na turma.

sábado, outubro 09, 2004

nós, os heróis

"As raparigas é que são porreiras, os rapazes não passam duns sacanas sempre a olhar para outras gajas mesmo tendo namorada..." -> Bullshit

Vamos imaginar o seguinte cenário:
"Uma rapariga engraçada passa ao lado de dois rapazes. A testosterona dispara, os cérebros dos rapazes bloqueiam as actividades em funcionamento concentrando toda a sua potência nos movimentos, no olhar, nas formas, no riso... dessa "jeitosa" que está a passar."
Aqui não se trata de uma função de multi-task, mas antes de parar uma função completamente para começar e acabar outra com mais importância, pelo menos segundo o nosso instinto. Segundo esse nosso instinto estamos sempre à procura de uma parceira para procriar. (Infelizmente não se trata da parceira ideal, mas de uma parceira mais à mão de semear...) É como se tivessemos um alarme na cabeça que a partir de certa altura da nossa vida apita e diz: "Tens de fazer mais pessoas!" e que nunca mais se desliga. Ainda bem que dispomos desse alarme e dessa vontade de fazer sexo a todo o tempo, se assim não fosse não haveria gente neste planeta. As mulheres têm de estar com disposição para quererem procriar. Os homens não necessitam de nada disso, basta surgir uma oportunidade para termos toda a disposição do mundo. Imaginam o que seria deste mundo se os homens tivessem a mesma disposição para o sexo que as mulheres? Estariamos sempre uns à espera dos outros e raramente encontrariamos uma boa altura para os dois. As mulheres só podem engravidar a certa altura do mês. Imaginem se nós não quisessemos nessa mesma altura? Não existiria espécie humana!
Alguém já assistiu, em primeira mão, à reacção de uma mulher que lhe é negado sexo pela marido/namorado/amigo/etc?
«- NÃO QUERES, COMO!? ÉS GAY OU QUÊ!? QUE SE PASSA CONTIGO!?»
Nós estamos e temos de estar prontos 24 horas por dia, sete dias por semana, 52 semanas por ano. Nunca podemos estar fora de serviço, somos como soldados sempre prontos para a guerra com batalhas que só começam quando a inimiga quiser. Pode ser em qualquer altura em qualquer lugar...
A meu ver, nós homens, somos uns verdadeiros heróis! :)

sexta-feira, outubro 08, 2004

Novidades?

Estou desiludido com o que tem acontecido na Quinta das Celebridades. Com a espectativa que foi criada à volta daquele programa ser tão diferente dos outros reality-shows e que prometia tanta novidade, o que é vemos?

- Discussão entre mulheres ressabiadas
- Actor porno a mexer em tetas
- Político no meio da merda

E eu perguntou: O que há de novo nisto, porra!?

O que ainda vai safando este programa, é o cão que por lá anda que vem de muito boas familias... :)

quinta-feira, outubro 07, 2004

Life

Li uma das melhores filosofias de como a vida devia ser. Aqui a escrevo para vosso deleite:

"The most unfair thing about life is the way it ends. I mean, life is tough. It takes up a lot of your time. What do you get at the end of it? A death. What's that, a bonus? I think the life cycle is all backwards. You should die first, get it out of the way. Then you live in an old age home. You get kicked out when you're too young, you get a gold watch, you go to work. You work forty years until you're young enough to enjoy retirement. You drink alcohol, you party, and you get ready for High School. You go to gradeschool, you become a kid, you play, you have no responsibilities, you become a little baby, you go back into the womb, you spend your last 9 months floating... then you finish off as an orgasm! Amen."

George Constanza, Seinfeld

quarta-feira, outubro 06, 2004

rescaldo do jogo

"Decidi rematar, puxei o pé atrás, cheio de confiança, com muita fé à mistura chutei e fechei os olhos. Só os abro daqui a umas semanas para ver se acertei..." - nInja TOtaL à saída para os balneários...

Pontapé na atmosfera

Não há nada mais desesperante do que estar à espera para ir fazer um exame quando nos sentimos sem chance de passar. Sinto como se tivesse na fila para ser empurrado para saltar de uma prancha para um poço sem fim. As hipóteses de eu me conseguir agarrar à parede deste poço são muito poucas, também não estou a ver asas a nascerem debaixo dos meus braços e estou ver que vou numa onda de Indiana Jones no filme "A Última Cruzada" para este exame. (Naquela parte em que ele tem de atravessar sobre uma ponte que só os crentes vêm.) Só tenho alguma fé comigo, precisava de um turbo boost de fé à KIT da série Knight Rider.
O receio que tenho é de mandar um pontapé na atmosfera. (Acontece quando um jogador de futebol vai a fazer um remate à baliza e nem sequer acerta na bola contraindo assim uma lesão grave que o deixa impossibilitado de regressar aos relvados durante algum tempo.) Destrocando estas metáforas por miúdos: Vou a exame, corre de tal maneira uma merda e entrego na mesma cheio de fé. O professor ao corrigir o dito exame pensa: "Para escrever esta bela caca de exame mais valia ter desistido logo, assim fez-me perder tempo este sacana. Para além de chumbar vai ficar aqui na minha lista de amiguinhos especiais..."

terça-feira, outubro 05, 2004

Quanto mede uma queca?

Recebi um email com uns cálculos que me parecem um pouco falaciosos, mas não deixam de ser interessantes.

"Os cientistas descobriram que uma boa queca dura, em média, aproximadamente 7 minutos. O cálculo médio de uma queca é de 60 penetrações por minuto, o que indica que o acto consiste em 420 penetrações. Supondo que o pénis tem em média 15 (quinze) centímetros, significa que a mulher recebe, em média, 6.300 centímetros de chibata, ou seja, 63 metros de salsichão, a cada relação. Geralmente as mulheres trepam 3 vezes por semana e, como o ano tem 52 semanas, então trepam 156 vezes por ano. Isto quer dizer que a mulher recebe 9.828 metros de pénis por ano, ou o equivalente a quase 10 km de pila/ano. Sugiro que repasse estas informações às suas amigas, que resistirão a argumentação tão singela caso tenham alcançado a quilometragem padrão! A 10 km por ano, uma garota de 25 anos, que tem sua vida sexual iniciada, em média, aos 17 anos, já rodou uns 80 km. Ex.: [ 25 - 17 = 8 anos] [ 8 x10km = 80 km !!!]. Portanto, agora, podemos apresentar nossas amigas, ou namoradas, da seguinte maneira:
"Ó Zé, esta é a Maria. Ela trabalha num banco, tem 27 anos mas tá novinha! Só rodou uns 55 km! Ela tem uma quilometragem de uma menina de 22/23 anos!!! Tá inteira, muito bem conservada. É como se fosse ano 72, modelo 77!!!"

Enfim, uma nova maneira para falar das mulheres...

segunda-feira, outubro 04, 2004

Infidelidade

Os homens são, ao que parece, na sua maioria infiés às suas parceiras e pelo que se ouve, mais que as mulheres. Umas até gostam que seja assim, porque podem fazer o mesmo e ninguém as aborrece outras acabam por não achar piada nenhuma e acabam por dar de comer ao pato a pila do marido. Ponham-se a pau, elas andem aí!
A sociedade julga estas traições como se tivesse esse direito. Nos homens é normal porque têm dificuldade em ser monógamos, sexo para eles é só sexo e mais uma porrada de desculpas esfarrapadas. As mulheres quando são infiés são umas rameiras porque para elas o sexo não é só sexo e o camandro. Existem umas desculpas mais ou menos plausíveis para que isso seja assim. Vejam só o que diz o ilustre Jurista Washington de Barros Monteiro, no seu livro de Curso de Direito Civil (Volume 2, Direito de Família, página 117):
"Entretanto, do ponto de vista puramente psicológico, torna-se sem dúvida mais grave o adultério da mulher. Quase sempre, a infidelidade no homem é fruto de capricho passageiro ou de um desejo momentâneo. Seu deslize não afeta de modo algum o amor pela mulher. O adultério desta, ao réves, vem demonstrar que se acham definitivamente rotos os laços afetivos que a prendiam ao marido e irremediavelmente comprometida a estabelecida estabilidade do lar."
"Para o homem", escreve Somerset Maugham, "uma ligação passageira não tem significado sentimental ao passo que para a mulher tem. Além disso, os filhos adulterinos que a mulher venha a ter, ficarão necessariamente ao cargo do marido, o que agrava IMORALIDADE, enquanto os filhos do marido com a amante jamais estarão sob os cuidados da esposa. Por outras palavras, o adultério da mulher transfere para o marido o encargo e alimentar prole alheia, ao passo que não terá essa consequência o adultério do marido. Por isso, a sociedade encara de modo mais severo o adultério da primeira." - Há homens que arranjam desculpas para tudo.

Sendo os infiés (pareço um tipo de uma jihad a falar) de ambos os sexos demasiado trapalhões ou os seus cônjuges muito desconfiados para que os traidores consigam planear os seus esquemas de desculpas, já podem contar com apoio de profissionais como o MisterAlibi, uma agência que protege traidores. Gostaria de saber que tipo de indemenizações estas agências estão dispostas a pagar no caso do plano que elas delinearam correr mal?

domingo, outubro 03, 2004

Imagem não é nada, estratégia é tudo!

Esta história dedico a todos que acham que a imagem de uma pessoa tem muito peso.

"Um homem de idade vivia sozinho em Minnesota. Ele queria virar a terra de seu jardim para plantar flores, mas era um trabalho muito pesado. Seu único filho, que normalmente o ajudava esta tarefa, estava na prisão. O homem então escreveu a seguinte carta ao filho, reclamando de seu problema:
"Querido Filho, Estou triste porque, ao que parece, não vou poder plantar meu jardim este ano. Detesto não poder fazê-lo porque sua mãe sempre adorava flores e esta é a época do plantio. Mas eu estou velho demais para cavar a terra. Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar com o jardim, pois estás na prisão. Com amor, Seu Pai".
Pouco depois o pai recebeu o seguinte telegrama:
"PELO AMOR DE DEUS, pai, não escave o jardim! Foi lá que eu escondi os corpos".
Às quatro da manhã do dia seguinte, uma dúzia de Agentes do FBI e policiais apareceram e escavaram o jardim inteiro, sem encontrar nenhum corpo. Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera. Esta foi a resposta:
"Pode plantar seu jardim agora, pai. Isso é o máximo que eu posso fazer no momento".

Ter problemas na vida é inevitável, ser derrotado por eles é opcional!"

sábado, outubro 02, 2004

The G-Spot exists or not?

Depois de várias discussões com muitas pessoas sobre a existência do mítico Ponto G resolvi mandar uma posta para que todos possam ficar a saber que existe mesmo!
Então vamos lá à vossa liçãozinha...







Quem descobriu o Ponto G?

Provavelmente vocês pensam que foi uma mulher? Afinal de contas elas é que o têm. Pois estão enganados! A primeira pessoa a propor a existência do Ponto G foi um Dr. Ernst Grafenberg, em 1950, noJornal Internacional de Sexologia. Até essa altura ninguém tinha notado a sua existência e pelos vistos assim pareceu continuar por mais três décadas. Nem sequer tinha nome até dois cientistas - John D. Perry e Beverly Whipple - lhe terem dado o nome de Ponto G em honra do Dr. Grafenberg (daí o G maiúsculo). Em 1982, juntamente com Alice Kahn Ladas estes dois cientistas publicaram o livro "The G-Spot and Other Recent Discoveries About Human Sexuality".

Ah, as maravilhas de viver numa sociedade com mentes tão brilhantes...

Quem quiser fazer parte dos iluminados pode clicar aqui

"Srs. Incrédulos .... estamos conversados?"

sexta-feira, outubro 01, 2004

Leis de um mundo louco

Estive a pesquisar na internet as leis absurdas que existem espalhadas por este nosso mundo. Vocês não imaginam a quantidade de leis estranhas que existem:

"No Líbano, os homens podem legalmente ter relações sexuais com animais, mas tem que ser fêmeas. Relações sexuais com machos é punível com a morte.
(até que faz sentido... paneleirices é que não!)

No Bahrain, um médico pode legalmente examinar a genitália feminina, mas ele é proibido de olhar diretamente para ela durante o exame. Ele pode apenas olhar através de um espelho.
(E o que é melhor?)

Os muçulmanos não podem olhar os genitais de um cadáver. Isto também se aplica aos funcionários da funerária. Os órgãos sexuais do defunto devem estar sempre cobertos por um tijolo ou por um pedaço de madeira.
(Sim, um tijolo!)

A penalidade para a masturbação na Indonésia é a decapitação.
(qual das cabeças?)

Há homens em Guam cujo emprego em tempo integral é viajar pelo país e deflorar virgens, que os pagam pelo privilégio de ter sexo pela primeira vez. Razão: pelas leis de Guam, é proibido virgens se casarem.
(pense um pouco: há algum trabalho no mundo que se aproxime disso?)

Em Hong Kong, uma mulher traída pode legalmente matar seu marido adúltero, mas deve fazê-lo apenas com suas mãos. Em contrapartida, a amante do marido pode ser morta de qualquer outra maneira. (morre putaaaa!!!)

A lei autoriza vendedoras a ficarem de topless em Liverpool, Inglaterra, mas somente em lojas de peixes tropicais.
(Mas é claro!)

Em Cali, na Colômbia, uma mulher só pode ter relações com seu marido, e a primeira vez que isso ocorre, sua mãe deve estar no quarto para testemunhar o ato.
(faz qualquer um tremer só de pensar)

Em Santa Cruz, na Bolívia, é ilegal um homem ter relações com uma mulher e a filha dela ao mesmo tempo.
(suponho que devam ter tido um caso e tanto para justificar ter uma lei específica)

Em Maryland preservativos podem ser vendidos em máquinas somente "em lugares onde são vendidas bebidas alcoólicas para consumo no local".
(Este não é um ótimo país? Não tanto quanto Guam, é claro!)

No município de Chico, na Califórnia, existe uma lei que estabelece uma multa de 500 dólares para quem explodir uma bomba nuclear no território.
(fora dele tá-se bem...)

No Estado de Washington existe uma lei que obriga motoristas com intenções criminais a pararem nos limites da cidade, ligarem para a Polícia e avisarem que estão chegando.
(Estou sim? Vou passar agora mesmo a 250 km/h por vocês, ok?)

No Texas, candidatos a criminosos precisam notificar suas futuras vítimas do crime que irão cometer com 24 horas de antecedência.
("Amanhã vou-te matar! Aparece!")

A cidade de Chateauneuf-du-pape, na França, proibiu, em 1954, que Ovnis pousassem sobre as vinículas (detalhe: só sobre as vinícolas).
("Sr. Marciano vou ter de o multar. O sr. está farto de saber que não pode estacionar o seu veiculo aqui.")

O município de Barra do Garças, no Mato Grosso, criou em 1995 uma área de cinco hectares para pouso de Ovnis.
(Parque de estacionamento para OVNIS, siga as seta...)

Na cidade de Pacific Grove, na Califórnia, existe uma multa de até 500 dólares para quem molestar ou ameaçar borboletas.
(Ameaçar!? Elas percebem, é?)

Em Nova Orleans, Louisiana, é ilegal amarrar um jacaré a um hidrante.
(Pronto, esta até que percebo...)

No Alasca, tramita uma lei que proíbe cachorros civis de imitarem cachorros policiais.
(Não Rex, não salves essa velha. Deixa isso para os profissionais...)

Em 1999, devido ao fato do cemitério local estar lotado, o prefeito de Laronjon, na Espanha, proibiu a morte no município até que a Prefeitura conseguisse um terreno para construir outro cemitério.
(sem comentários!)

No Estado da Virgínia, é proibido fazer posições diferentes durante o ato sexual. Além disso, a lei proíbe fazer cócegas em mulheres.
(O que será que é uma posição diferente? Diferente do que?)

Nos anos 90, no interior da França, a proprietária de um restaurante foi processada por dez funcionários por assédio sexual. No tribunal, ela alegou que uma norma da Idade Média autorizava os proprietários de terra a terem relações com quem trabalhasse em seu terreno. Após se assegurarem de que a lei não fora revogada, os juízes tiveram que inocentá-la.
(Estava no seu direito.)"

Estas são apenas algumas que eu escolhi, existem muitas mais. Se quiserem saber mais algumas podem visitar o DumbLaws.com.